sexta-feira, 23 de setembro de 2011

O FILHO PRÓDIGO


Texto: Lucas 15:11-24

11 Disse-lhe mais: Certo homem tinha dois filhos. 12 O mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me toca. Repartiu-lhes, pois, os seus haveres. 13 Poucos dias depois, o filho mais moço ajuntando tudo, partiu para um país distante, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente. 14 E, havendo ele dissipado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a passar necessidades. 15 Então foi encontrar-se a um dos cidadãos daquele país, o qual o mandou para os seus campos a apascentar porcos. 16 E desejava encher o estômago com as alfarrobas que os porcos comiam; e ninguém lhe dava nada. 17 Caindo, porém, em si, disse: Quantos empregados de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! 18 Levantar-me-ei, irei ter com meu pai e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; 19 já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados.
20 Levantou-se, pois, e foi para seu pai. Estando ele ainda longe, seu pai o viu, encheu-se de compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou. 21 Disse-lhe o filho: Pai, pequei conta o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho. 22 Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa, e vesti-lha, e ponde-lhe um anel no dedo e alparcas nos pés; 23 trazei também o bezerro, cevado e matai-o; comamos, e regozijemo-nos, 24 porque este meu filho estava morto, e reviveu; tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a regozijar-se.

        INTRODUÇÃO: A parábola do filho pródigo poderia ser chamada a “Parábola do Pai que espera”. Enquanto o arrependimento do filho é importante; a disposição do pai em perdoar é uma admirável ilustração do amor paternal de Deus para com os obstinados (teimosos) pecadores. Nesta parábola se destaca: Revolta, regresso e a restauração. Nesta bela passagem Bíblica, podemos ver como Deus trabalha na restauração do pecador perdido. Este texto nos mostra que o pecador se afasta de Deus por livre arbítrio; mas Deus não se afasta do homem.   
        A Bíblia Diz que Deus espera que cada um volte para ele enquanto se pode achar Isa 55:6,7; Gn 3:1-6; 6:5; Jo 3:16. A parábola mostra o quanto Deus é compassivo, terno, misericordioso e cheio de amor por aqueles que voltam para ele.

Quais as lições que esta parábola nos ensina?
Qual a mensagem que podemos tirar dela para a nossa edificação espiritual?

I. A LIÇÃO DA INSATISFAÇÃO – (v. 11, 12).

A)  Produziu aflição no espírito

1.  Planejou sair da casa do pai. A escolha do nosso futuro.
2.  Tinha tudo no seu lar, seu pai era rico, um bom pai; mas ele estava insatisfeito.
3.  O filho se revoltou: Dá-me a parte da fazenda que me pertence – v. 12.
4.  Não queria mais o governo do pai
5.  A causa da queda é o desejo de gozar a vida sem o domínio (sem o governo de Deus) de Deus v. 13.
a.     Foi assim no Éden, o homem que tudo devia a Deus, rompeu com Ele, desejoso de desfrutar livremente a vida Gn 3:5.
b.     O pecado é a principal origem da insatisfação ou aflição Dt 28:66,67; Jó 15:20; Sl 107:17.

B)   Provocou o rompimento na família v. 13.

1.    Quantos têm distanciado de Deus para bem longe na vida, mesmo tendo recebido tanta instrução na Sua casa, mas, preferem a ilusão.
2.    Descontente com o ambiente: falta de amor.
3.    Descontente com o alimente: Palavra.
4.    Descontente com o irmão: contenda.
5.    Desejo de conhecer além da casa: mundo.
6.    No país distante do lar do pai, fome, maus-tratos. Pv 21:20

C)  A insatisfação conduziu a uma atitude errada v. 13.

1.    Desperdiçou a sua fazenda vivendo nas orgias com os falsos amigos.
2.    O pecado consiste em gastar os bens criados por Deus e que foram emprestados a nós:
a.      Corpo, tempo, saúde, mente, as coisas materiais e espirituais, ele gasta sem gratidão.
3.    O filho pródigo foi para longe, afim de afastar-se da vigilância do pai.
4.    Conduziu a busca dos prazeres Pv 21:17.
5.    Os prazeres conduziu a falsa segurança lembramos que no livro de Lucas para alguém que se preocupou apenas com as coisas materiais: “Louco, esta noite ti pedirão a tua alma; e o que tem preparado para quem será?” Lc 12:20.
6.    Os prazeres conduzem a morte espiritual.

II. A LIÇÃO DA FALSA AVALIAÇÃO – v. 14-16

A)  Os amigos não eram verdadeiros.

1.    Começou a padecer, as necessidades começaram a chegar uma após a outra.
2.    E onde estavam os amigos?
3.    Distante de Deus não há alegria verdadeira; as necessidades são constantes; os amigos são infiéis.

B)  Sem Deus a vida é uma bancarrota moral Apc 3:17 diz: “Porquanto dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um coitado, e miserável, e pobre, e cego, e nu”.

1.    O filho rebelde descobriu que dinheiro e prazer não era a felicidade.
2.    Gastou tudo e o pior, num país estrangeiro.

C)  Foi conduzido a apascentar porcos v. 15.

1.    Na simbologia bíblica, porcos significa impureza e gula.
2.    Isto é o que Satanás faz com os que se afastam de Deus.
3.    Foi forçado a comer com os porcos v. 16.
4.    Longe de Deus na sujeira do pecado, nas impurezas e na gula dos prazeres, bebidas e vícios.
5.    Enchendo seu estômago com as bolotas ou alfarrobas. Alfarroba: palha, nulidade, juízo do mal.
6.    Nada pode se comparar com a casa do pai v. 17 “caindo em si”.
7.    Precisou sofrer para despertar a consciência.
8.    A Bíblia nos fala da penalidade do pecado Pv 11:21.

III.  A LIÇÃO DADIFÍCIL ESCOLHA DO FILHO PRÓDIGO v. 11-13

A)  O jovem tinha duas opções:

1.    Primeira opção: “Ficar em casa e vencer sua crise interior”.
2.    Segunda opção: “Sair de casa para tentar a vida longe do pai”.

B)  Quando se faz a pior escolha:

1.    Quais são as implicações na vida daqueles que erram na escolha que fazem?
2.    No caso do filho pródigo, ele escolheu o pior, sair de casa.
3.    Toda ilusão é passageira (tudo acabou rápido demais para aquele jovem).Dt 28:48.
4.    O salário do pecado é a morte Rm 3:23.
5.    A desobediência causou traumas, remorsos e angústias.

C)  Você não deve se esquecer que o Diabo é mestre em iludir, escravizar e destruir.

“O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e atenham com abundância” Jo 10:10.

1.    As festas, as drogas, os prazeres, o jogo, a prostituição, e a vida sem regras, são coisas ilusórias, passageiras, cujo prazer dura só um momento.
2.    O começo da decadência, da descida, do fim v. 14-16:

Longe do pai e do seu lar:
a.     Começou a padecer necessidades.
b.     Necessidade de proteção.
c.     Necessidade de carinho.
d.     Necessidade de pão.
e.     Necessidade de companhia.

3.    Não tinha ninguém ao seu favor: “ninguém lhe dava nada” v. 16.

a.     O inimigo ilude e depois faz a pessoa ficar só.
b.     O mundo só dá valor quando tem dinheiro, saúde e fama, mas, acabando tudo, também acabam os amigos, as companhias e o que resta é a solidão.
c.     Longe do pai – o filho perdeu o seu valor, ninguém lhe dava nada, ninguém o percebia; ninguém o reconhecia.
d.     Longe do pai a vida é para baixo v. 15,16.

IV. O CAMINHO DA RESTAURAÇÃO – v. 17-19

A)  O regresso.

v   O melhor caminho é voltar, nada de novas tentativas, ou de prosseguir da maneira como está.

1.    É preciso cair em si, acordar, refletir, raciocinar.
2.    É preciso reconhecer que longe de Deus está perdendo, está sofrendo, e até morrendo.
3.    É preciso reconhecer que pecou, falhou e transgrediu.
4.    O mundo lá fora só lhe trouxe desilusão e frustrações.
5.    Lembrou-se da casa de Seu Pai e arrependeu.

a.     Planejou o reencontro e decidiu “levantar-me-ei e irei ( muitos planejam voltar mas não decidem).
b.     Abandonou o mundo e todos os vícios; reconheceu o seu erro; levantou e voltou ao pai.
c.     Acordou; largou a sujeira os porcos, o fracasso espiritual e foi sentar-se no banquete do seu pai.
d.     Fortaleceu-se no caminho ao voltar v. 19.

e.     Apesar do tempo os olhos do pai se voltavam todos os dias esperando a sua volta.

6.    Arrepender e tomar a decisão de voltar para Deus o Pai.
7.    É necessário humildade: não sou digno, esta deve ser a atitude da alma v. 19.
8.    É preciso crer no amor e no perdão de Deus.
a.     Este é o roteiro de Deus em Sua preciosa Palavra indicado aos pródigos espirituais dos nossos dias.

V.    COMO DEUS REAGE AO RECEBER UM PECADOR ARREPENDIDO? v. 20

A)  Ele se move cheio de compaixão na direção daquele que se volta para Ele.

1.    Ele o envolve com um terno abraço de amor.
2.    Ele o cobre com as vestes espirituais da salvação, coloca um anel no dedo que representa autoridade, e calça os seus pés com sandálias, que significa que foi recebido como filho e não como escravo v. 22,23.
3.    Promove uma festa, demonstrando Seu júbilo por um pecador arrependido que estava morto e reviveu; que estava perdido e foi achado v. 24.

     CONCLUSÃO: Tudo quanto desfrutar no mundo é fugaz! Volte-se para Cristo! Ele lhe assegura a satisfação e a vida eterna. A Sua casa está aberta para aquele que retorna. Seu coração está cheio de misericórdia e Seus olhos voltam todos os dias em compaixão pelos perdidos. Ele espera por você! Seus pés se movem em sua direção esperando uma oportunidade sua de reconhecimento do seu próprio pecado e que precisa da eterna salvação de Deus. Volte-se para Deus agora! Reconheça que as opções que você faz do mundo são vazias e nulas. Como aquele pai – Deus espera por você. Aceite a Jesus agora mesmo onde você está, e terás um lugar á mesa do banquete celestial. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário